Participe! Greve geral 30 de junho, 8h, Praça da Bandeira

No município e no País, dizem que a crise é culpa do trabalhador...

Servidores municipais: #ReajusteZeroNão
O Prefeito Roberto Cláudio (PDT) diz que a prefeitura não pode pagar reajuste aos servidores municipais, mesmo quando o Sindifort mostra que é possível pagar sem comprometer o limite prudencial de gastos do município. Enquanto isso, RC concede ajuda de custo sem limites para os que utilizem seus veículos em funções oficiais. Aos servidores nada, mas para o Gabinete do prefeito o recurso é de RS 183 milhões. Indignados os servidores decretaram estado de greve, agora é construir a greve geral somando forças com a luta nacional contra o golpe nos diretos dos trabalhadores. 

Além da Previdência, Temer quer acabar com CLT!

Leia mais:Participe! Greve geral 30 de junho, 8h, Praça da Bandeira

Eleições para delegados de base - Participe!

Atenção servidores Municipais: Estão acontecendo entre os dias 26 a 30 de junho, assembleias específicas de servidores municipais em diversos órgãos da Prefeitura. Na pauta a Campanha Salarial 2017, não aceitamos o reajuste zero, melhores condições para o IPM-Saúde-Previfor e a eleição dos (as) delegados (as) de base. Participe, venha fazer valer seus direitos, junte-se a nós, porque a luta não pode parar!
 
Calendário das assembleias

(todas acontecem na própria sede dos órgãos municipais, a exeção da que unirá servidores da SMS, SME, SDE, IJF, Gabinete e Secretaria Regional do Centro que acontecerá na sede do Sindifort).
26/06/2017 -  Sesec e Guarda Municipal - 07h
26/06/2017 -  Secretaria Regional I - 08h
26/06/2017 -  Secretaria Regional III - 08h
26/06/2017 -  Secretaria de Finanças  - 11h
26/06/2017 -  Setra - 13h
27/06/2017 - Secretaria Regional II - 08h
27/06/2017 - Secretaria Regional VI - 08h
27/06/2017 - Urbfor - 07h
28/06/2017 - Usina de Asfalto - 07h
28/06/2017 - Secretaria Regional IV - 08h
28/06/2017 - Secretaria Regional V - 08h
28/06/2017 - Seinf - Semam - Agefis - 08h
28/06/2017 - Secultfor- 10h
28/06/2017 - Funci - 14h

Leia mais:Eleições para delegados de base - Participe!

Prefeito, não aceitamos reajuste zero! Dia 13 de junho, todos ao Paço Municipal às 8h!

Clique na imagem e veja mais fotos da reunião com o prefeito e da assembleia geral
Em reunião da Mesa Central de Negociação, realizada dia 30 de maio, no Paço Municipal, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que, por conta da crise econômica, não poderá conceder reajuste salarial e nem mesmo a reposição da inflação para os servidores municipais. Em assembleia geral realizada na sede do Sindifort no dia 31/05/17, os servidores decidiram que esta proposta é inaceitável e que haverá mobilização e ato de protesto com concentração às 8h em frente ao Paço Municipal, na terça-feira, 13 de junho.
Na reunião com a Prefeitura, a direção do Sindifort contestou as informações apresentadas pelo prefeito e seus auxiliares e afirmou que segundo dados apresentados pela própria Prefeitura por meio do Portal da Transparência, seria possível conceder reajuste sem comprometer o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal para os municípios.
A data base dos servidores municipais foi em 1º de janeiro e para recuperar perdas salariais e ter algum ganho real, os servidores reivindicam reajuste de 13,60%. A pauta da Campanha Salarial de 2017 foi entregue em 9 de dezembro de 2016. Desde então, Roberto Cláudio vem cozinhando em banho maria as negociações sobre o reajuste salarial. Agora, quase no meio do ano, disse que não fará nem a reposição das perdas com a inflação, mesmo deixando a possibilidade de voltar a falar no assunto daqui quatro meses.
Só vamos ter reajuste salarial e barramos as reformas do governo Temer com luta e mobilização. Entre servidores ativos e aposentados, o município conta com quase 40 mil pessoas. A direção do Sindifort está fazendo sua parte mas só teremos êxito com a participação ativa de todos ou pelo menos de um grande número de servidores.
Está na hora de arregaçarmos as mangas e irmos à luta. Vamos na terça-feira, 13 de junho ao grande ato no Paço Municipal às 8h cobrarmos o reajuste e as demais pauta da campanha Salarial 2017. E continuaremos firmes na luta contra as reformas trabalhista, previdenciária e demais ataques aos direitos trabalhistas, #ForaTemer!

Leia mais:Prefeito, não aceitamos reajuste zero! Dia 13 de junho, todos ao Paço Municipal às 8h!

Mobilizados pelo Sindifort servidores municipais vão ao Paço contra reajuste zero

Ironizando o duplo discurso da Prefeitura (crise para servidores e benesses para secretários e aliados), o Sindifort montou em frente ao Paço Municipal uma mesa de café da manhã com um boneco do prefeito Roberto Cláudio. De um lado, produtos baratos e vencidos, simbolizando o reajuste zero e às dificuldades dos servidores. Do outro, iguarias para sinalizar os gastos com o primeiro escalão da gestão e aliados.

Para reafirmar que “Não aceitamos reajuste zero” e cobrar demais pautas da Campanha Salarial 2017, os servidores do município de Fortaleza, mobilizados pelo Sindifort, realizaram protesto no Paço Municipal hoje, dia 13 de junho, às 8h. O ato foi acertado em assembleia geral realizada na sede do sindicato, um dia após o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmar que não concederá reajuste salarial devido a atual crise econômica.

Durante o ato, Philipe Nottingham (secretário de orçamento, planejamento e gestão), recebeu uma comissão formada por diretores do Sindifort  e servidores municipais. O secretário voltou a afirmar que a prefeitura não tem condições de conceder o reajuste, mas se o cenário mudar, é possível reavaliar no segundo semestre. Mesmo assim, Eriston Ferreira, Presidente do Sindifort, insistiu que segundo dados do  Portal da Transparência do município de Fortaleza, é possível realizar o reajuste sem comprometer o limite prudencial, mas está faltando é vontade política da gestão de Roberto Cláudio. 

Leia mais:Mobilizados pelo Sindifort servidores municipais vão ao Paço contra reajuste zero

Sindifort esclarece professores sobre portaria de reenquadramento (nível médio)

Professores, o Jurídico do SINDIFORT analisou a Portaria 103/2017 da SEPOG publicada no DOM em 19.05.2017 e esclarecemos aos professores nível médio que o reenquadramento que está sendo realizado pela PMF e SEPOG não trará nenhum prejuízo aos professores.
Em 2016 houve uma alteração na tabela salarial – Anexo 12 do PCCS da Educação, por meio da Lei n. 10.459/2016. A lei veio para corrigir uma inconstitucionalidade do PCCS de 2007 (Lei 9.249/2007), tendo em vista que a redação anterior do PCCS considerava a promoção por titulação como uma ascensão funcional com mudança de cargo, o que não pode ocorrer já que a Constituição Federal de 1988 estabelece que a ascensão a cargo público só pode ocorrer por meio de concurso público. Antes da alteração da lei o professor que ingressou com o nível médio de escolaridade no cargo professor nível médio e quando era promovido por titulação alterava seu cargo para professor graduado, o que não é possível na vigente ordem constitucional.
Por conta dessa inconstitucionalidade da Lei os processos de aposentadoria estavam retornando do TCM e os servidores começaram a ter problemas para aposentarem-se. Além disso, as promoções de titulação ficaram suspensas por mais de 3 anos porque a PGM e o TCM consideravam a previsão contida na lei inconstitucional.
Dessa forma foi necessário a alteração da lei, de forma que foram criadas tabelas para nível médio e tabelas para nível superior e a titulação passou a ser considerada estágio de carreira e não mais mudança de cargo que é o correto já que se trata de uma promoção e não uma ascensão funcional, o que é proibido pela CF de 1988.
Para o caso dos professores nível médio a partir da vigência da nova lei devem ser observadas duas tabelas salariais a 120h e a de 240h. As tabelas trazem 5 níveis de carreira, I, II, III, IV, V que equivalem respectivamente as carreiras de nível médio, graduação, especialização, mestrado e doutorado.
A SEPOG está realizando a correção do enquadramento dos professores por meio de Portaria, conforme estabelece o art. 3º e 4º da Lei 10.459/2016.
Os professores não terão nenhum prejuízo neste novo enquadramento porque a lei determina que o reenquadramento na nova tabela salarial dos professores de nível médio dar-se-á no mesmo padrão de vencimento correspondente à sua atual situação funcional. Por exemplo: um professor que ingressou no Município no cargo de escolaridade nível médio, mas posteriormente graduou-se e cursou uma especialização e que se encontra na referência 27 na tabela antiga está enquadrado no cargo de professor área especifica ESP027. Como o professor não poderia alterar seu cargo está sendo feito o reenquadramento com base na nova lei. Nesse caso, o professor manterá o cargo para o qual realizou concurso público: professor nível médio e será enquadrado na nova tabela no estágio de carreira III (que equivale ao estágio de carreira especialização) referência 27: professor nível médio III-27.
Acesse AQUI a lei 10.459/2016 com as tabelas salariais do nível médio Anexos 12-A e 12-B.

Bem-Vindo!


Agenda da Luta

Reunião com a Prefeitura - Campanha Salarial

- 30/05/2017 | Sepog | Av. Des. Moreira, 2875, Dionísio Torres

Assembleia - Informes Reunião da Campanha Salarial

- 31/05/2017 | Auditório - Sindifort | Rua 24 de maio, 1188 - Centro.

Ato de Protesto no Paço Municipal

- 13/06/2017 | 8h | Paço Municipal

Cadastre seu email

Leia Nosso Informativo

          



 

 

 

 

       

Cartilha de direitos das mulheres

  

 

 

 

 

Vídeos do Sindifort
Facebook
Twitter
Youtube