Clique na imagem e veja mais fotos da reunião com o prefeito e da assembleia geral
Em reunião da Mesa Central de Negociação, realizada dia 30 de maio, no Paço Municipal, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que, por conta da crise econômica, não poderá conceder reajuste salarial e nem mesmo a reposição da inflação para os servidores municipais. Em assembleia geral realizada na sede do Sindifort no dia 31/05/17, os servidores decidiram que esta proposta é inaceitável e que haverá mobilização e ato de protesto com concentração às 8h em frente ao Paço Municipal, na terça-feira, 13 de junho.
Na reunião com a Prefeitura, a direção do Sindifort contestou as informações apresentadas pelo prefeito e seus auxiliares e afirmou que segundo dados apresentados pela própria Prefeitura por meio do Portal da Transparência, seria possível conceder reajuste sem comprometer o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal para os municípios.
A data base dos servidores municipais foi em 1º de janeiro e para recuperar perdas salariais e ter algum ganho real, os servidores reivindicam reajuste de 13,60%. A pauta da Campanha Salarial de 2017 foi entregue em 9 de dezembro de 2016. Desde então, Roberto Cláudio vem cozinhando em banho maria as negociações sobre o reajuste salarial. Agora, quase no meio do ano, disse que não fará nem a reposição das perdas com a inflação, mesmo deixando a possibilidade de voltar a falar no assunto daqui quatro meses.
Só vamos ter reajuste salarial e barramos as reformas do governo Temer com luta e mobilização. Entre servidores ativos e aposentados, o município conta com quase 40 mil pessoas. A direção do Sindifort está fazendo sua parte mas só teremos êxito com a participação ativa de todos ou pelo menos de um grande número de servidores.
Está na hora de arregaçarmos as mangas e irmos à luta. Vamos na terça-feira, 13 de junho ao grande ato no Paço Municipal às 8h cobrarmos o reajuste e as demais pauta da campanha Salarial 2017. E continuaremos firmes na luta contra as reformas trabalhista, previdenciária e demais ataques aos direitos trabalhistas, #ForaTemer!

 
Prefeito fala em crise, mas..    

  • No mesmo dia da reunião com o Sindifort, a Câmara Municipal aprovou Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 13/2017, que fixa ajuda de custo para servidores que utilizem seus próprios veículos para funções     oficiais, não especificando valor. É um cheque em branco para o primeiro escalão que já recebe gordos jetons.

  • Vice-prefeito     Moroni Torgan está     gastando R$ 792 mil somente com o aluguel de seu escritório, com contrato de 36 meses.         

  • A verba prevista para os gastos com o Gabinete do Prefeito é de R$ 183 milhões. Um absurdo!    

  • O Prefeito Roberto Cláudio continua endividando a cidade. A Dívida Pública do Município é hoje mais de um bilhão e duzentos milhões de reais e só com juros e amortizações o município gastou R$ 141 milhões em 2016.

  • O discurso é de crise, mas houve aumento de 12% na arrecadação do IPTU. Conforme o site impostômetro, de 01 de janeiro até 31 de maio, Fortaleza arrecadou R$758 milhões em impostos. Ou seja, tem dinheiro. O que não tem é vontade política.

 

Bem-Vindo!


Agenda da Luta

Reunião com a Prefeitura - Campanha Salarial

- 30/05/2017 | Sepog | Av. Des. Moreira, 2875, Dionísio Torres

Assembleia - Informes Reunião da Campanha Salarial

- 31/05/2017 | Auditório - Sindifort | Rua 24 de maio, 1188 - Centro.

Ato de Protesto no Paço Municipal

- 13/06/2017 | 8h | Paço Municipal

Cadastre seu email

Leia Nosso Informativo

          



 

 

 

 

       

Cartilha de direitos das mulheres

  

 

 

 

 

Vídeos do Sindifort
Facebook
Twitter
Youtube