Mais uma vez o prefeito Roberto Cláudio (PDT) inicia o ano atacando direitos dos servidores públicos de Fortaleza e tomando medidas que prejudicam a população. Dia 23 de janeiro, convocou a imprensa para anunciar o seu pacote de maldades, seguindo a mesma linha do estado e União. Assim como os governos estadual e federal, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) ataca os servidores públicos e o povo de Fortaleza.
Roberto Cláudio anunciou as tais medidas depois de aumentar a passagem dos transportes urbanos em 16,36% e baixar vários decretos retirando e restringindo direitos dos servidores.
Os decretos, publicados no Diário Oficial do Município no dia 12 de janeiro, suspendem por 3 anos o deferimento, gozo e o pagamento em pecúnia (dinheiro) das licenças prêmio, alteram a atuação da Perícia Médica Oficial do Município e  restringem a concessão de licenças para tratamento de saúde e por motivo de doença em pessoa da família, cortam o auxílio refeição para quem ganha mais de R$ 6 mil reais etc.
Agindo dessa forma, mesmo sem declarar abertamente, o prefeito mostra seguir alinhado com as políticas do presidente Michel Temer (PMDB) e medidas já aprovadas (como a PEC da Morte, que congelou os gastos com saúde e educação em 20 anos). Assim também age o governador Camilo Santana (PT), mesmo se dizendo oposição a Temer. Querem jogar sobre os ombros da população pobre e dos servidores públicos os custos da crise, para que uma minoria de empresários e banqueiros continue lucrando com a miséria de milhões.

Exemplo disso vemos em Fortaleza: ao mesmo tempo em que Roberto Cláudio sacrifica servidores e população, pregando austeridade, age de forma bem diferente em outras áreas. Como no gasto de R$ 800 mil somente com a cantora Claudia Leite para a festa de Ano novo em Fortaleza. Quantos milhões foram gastos no réveillon e serão gastos no carnaval em Fortaleza? Quem lucra com o aumento das passagens?
Quanto foi cortado de sua verba de gabinete que em 2016 aumentou de R$ 116 milhões para R$ 183 milhões? Quanto foi reduzido dos gastos com publicidade que no ano passado foram, no mínimo, R$ 40 milhões?
O prefeito anunciou um Plano de Acessibilidade Sustentável, cujo custo é de 5 milhões de dólares, o que equivale a mais de 15 milhões de reais. O plano é basicamente um estudo. Pensando na crise, não há profissionais na Prefeitura capazes de executá-lo? Estes custos não podem ser reduzidos?
O prefeito também prometeu cortar gastos com a terceirização, mas desde a gestão anterior ela só aumenta. Agora diz que vai demitir os terceirizados sem realizar concurso público para suprir as vagas, permitindo que serviços essenciais à população, como na área da saúde, deixem de ser oferecidos por falta de pessoal. A verdade é que Roberto Cláudio nunca deixou claro o quanto é gasto com terceirização.
           Contra os desmandos do prefeito, e o aperto que os servidores e a população têm sofrido, o Sindifort segue firme na luta, em Campanha Salarial chamamos a todos para participar de ato público, na Câmara de Vereadores, na quarta-feira, 1º de fevereiro, às 9h. Ônibus saindo da Praça da Bandeira às 7h30.
Conheça decreto 13.960, publicado em 12 de janeiro pelo prefeito Roberto Cláudio

IMPORTANTE: O Sindifort considera que o decreto nº 13.960 é ilegal. Portanto, os servidores que têm direito ao gozo da licença prêmio devem procurar o Departamento Jurídico do Sindifort visando garantir judicialmente o seu direito. Para mais informações ligue 3231-6860

+ Nota também publicada no blog do jornalista Eliomar de Lima | O Povo, confira clicando AQUI.

 

e-max.it: your social media marketing partner

Bem-Vindo!


Agenda da Luta

Assembleia dos servidores da Urbfor

- 19/04/2017 | 07h | Sede da Urbfor.

Assembleia dos ACS e ACE

-20/04/2017 | 8h | Sede do Sindifort | Rua 24 de maio, 1188 - Centro.

Greve Geral  - 28/04/2017

Pré-cadastro do SESC

 

 

 

 

Cadastre seu email

Leia Nosso Informativo

          

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

       

Cartilha de direitos das mulheres

  

Vídeos do Sindifort
Facebook
Twitter
Youtube