O direito à aposentadoria é uma conquista da classe trabalhadora. Antes desse direito existir, poucos trabalhadores conseguiam chegar à terceira idade. Os que chegavam, eram condenados a viver sem recursos ou a depender da caridade de familiares e de instituições que davam assistência aos mais necessitados. A imensa maioria da classe trabalhadora morria antes, vítima de doenças, guerras e da miséria.
Infelizmente, nas condições de crise do capitalismo em que vivemos, o envelhecimento virou um castigo para os trabalhadores. Mesmo tendo contribuído por toda a vida para o crescimento da sociedade, os velhos tornaram-se um incômodo para governos e patrões. Para esses, os trabalhadores só servem para serem explorados até a última gota de sangue e suor.
Por esse motivo, os governos de FHC, Lula e Dilma, sucessivamente, aplicaram reformas previdenciárias com o objetivo de dificultar e limitar o acesso dos trabalhadores à previdência social. Dentre outras mudanças, foram introduzidas a exigência de 35 anos de contribuição previdenciária (em substituição à comprovação do tempo de serviço), a taxação de inativos, criação do fator previdenciário, idade mínima para aposentadoria dos servidores públicos, limitação dos proventos ao valor do maior benefício pago pelo INSS, limitações para concessão de pensões por viuvez, etc. Além disso, os benefícios de aposentados e pensionistas estão cada vez mais defasados, pois os reajustes aplicados não têm acompanhado a inflação crescente.
Além de sofrer os impactos das mudanças na legislação nacional, os servidores da PMF (Prefeitura Municipal de Fortaleza) também sofreram com as medidas aplicadas no âmbito do Município e tiveram que enfrentar várias tentativas de ataque a seus direitos. A taxação de inativos foi introduzida na gestão da ex-prefeita Luizianne Lins, mas graças à luta do Sindifort essa cobrança é compensada com um abono equivalente ao desconto. Na atual gestão, foi preciso enfrentar a tentativa de privatizar o IPM (Instituto de Previdência do Município) através de convênios com planos de saúde. Agora, com as últimas medidas anunciadas pela presidente Dilma Roussef, o prefeito Roberto Cláudio já anunciou que novas mudanças na previdência municipal estão sendo planejadas.

Organizar-se para defender os direitos
Diante dessa ofensiva constante contra os aposentados, a organização desse segmento é a única defesa contra os ataques. Sem a união de todos em torno do seu sindicato, os trabalhadores ativos e inativos, assim como os pensionistas, ficam indefesos às reformas dos governos.
A PMF sabe disso. Por esse motivo, quando os servidores se aposentam, o desconto em favor do Sindifort é imediatamente suspenso, sem autorização dos trabalhadores. A grande maioria só percebe essa situação quando comparece à nossa sede. Por isso, estamos nos dirigindo a todos os servidores cujos descontos sindicais encontram-se suspensos a procurarem regularizar sua situação. Também queremos convidar todos os que ainda não estão filiados a se associarem para fortalecer a luta em defesa dos direitos dos servidores inativos e pela melhoria dos serviços do IPM.
Precisamos estar alertas e mobilizados. Isso só é possível através do fortalecimento da nossa organização sindical. Fortaleça o Sindifort e não esqueça: o futuro é de quem luta e sonha!

Bem-Vindo!


Agenda da Luta

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO

- 14/09/2017 | 16h | Praça da Bandeira.

 

Cadastre seu email

Leia Nosso Informativo



 

 

 

 

       

Cartilha de direitos das mulheres

  

 

 

 

 

Vídeos do Sindifort
Facebook
Twitter
Youtube